A Aranha (provavelmente assassina)

Colaboradores do Rebate Carlos Leite Ribeiro

(Fato verídico passado hoje comigo!)

Eu sempre tive fobia a aranhas, seja qual o tamanho ou espécie. Imaginem de quando me levantei hoje, ao abrir a porta do quarto, deparei no corredor com uma “enorme” aranha que estava sobre a passadeira do corredor. Como devem de calcular, fiquei como é vulgar dizer: “sem pinga de sangue”. Fechei rapidamente a porta do quarto, sentei-me na cama a pensar como resolver esse enorme problema que inesperadamente apareceu. Após longos minutos de meditação, ganhei coragem e abri novamente a porta do quarto, atravessei o corredor, abri a porta da casa de jantar (só para não incomodar a aranha); fui até à cozinha, buscar uma pá de lixo e um pequeno passador de chá. Voltei ao corredor, encarei a “enorme” aranha que nessa altura já se encontrava junto ao rodapé. Com o passador direcionai-a para a pá e ficou presa dentro do passador. Abri a porta que dá para a rua, fui até à entrada da casa com a aranha dento do passador e da pá. Felizmente passou na altura uma camionete de caixa aberta e lancei a pá, a aranha e o passador para dentro da camioneta. E a aranha lá foi passear… Como podem constatar, eu sou um homem de CORAGEM!...

Parece que sou atreito a grandes aranhas, pois, há cerca de 7 ou 8 anos atrás, na casa que então morava, também apareceu uma enorme aranha. Fui então buscar o aspirador e suguei para dentro a aranha. Para meu espanto, no outro dia a aranha reapareceu no corredor, com umas penas a menos e cheia de cotão (lixo). Fiz a mesma operação do dia anterior mas desta vez tirei o saco dentro do aspirador e fui coloca-lo no contentor do lixo.
Por acaso, alguma (o) amiga (o) sabe de algum procedimento que me livre das “enormes” aranhas? Desde já os meus agradecimentos.

Carlos Leite Ribeiro - Marinha Grande - Portugal