Por Que o Mundo Odeia os Judeus e Sua Nação, Israel?

Thaís Rêgo
Muitos de vocês já devem ter se feito essa pergunta pelo menos mil vezes. O que esse povo fez pra merecer tanto ódio? O fato é que ninguém consegue explicar ao certo o motivo pra tamanha perseguição. Sofremos com a escravidão no Egito, Inquisição, Holocausto e muitos outros. E a toda hora surge uma nova pessoa com a mesma idéia de sempre: acabar com Israel. Quando fazemos essa pergunta para um não judeu eles respondem:

- Desde que chegaram ao mundo, os Judeus só fazem criar problemas por onde eles passam.

Ou então,

- O que é que eles tinham que ter invadido a terra dos outros?

É até irônico ouvir isso, como se o nosso problema começasse dessa época de conflitos árabes e israelenses, como se não fossemos talvez o povo mais antigo no mundo. Como se a terra mesmo fosse da tal "Palestina" e como se nós procurássemos problemas com os outros povos..

Mal eles sabem que a terra nos pertencia antes de sermos expulsos dela. Mal eles sabem que já existiram dezenas de povos (que eram maioria antigamente) que tentaram acabar com os Judeus e por fim sumiram do mapa. Hoje nem sequer sabemos da existência deles.

Sempre fomos minoria, e por incrível que pareça, continuamos firmes e fortes. O que os nossos inimigos não sabem é que eles ajudam no nosso fortalecimento. Quanto mais ódio aos judeus, mais forte nós ficamos! E estes povos acabam por se auto-destruir.

O que acaba com um Judeu? A assimilação! A perda de seus valores e o esquecimento de todo o nosso passado glorioso. Principalmente: um próprio judeu renegar as suas origens. Somos um povo normal como todos os outros (nem superiores e nem inferiores, mas com uma missão diferenciada), com acertos e erros. E ao mesmo tempo não somos. Pois conseguimos coisas que nenhum outro povo sequer pode imaginar ser possível. Quanto mais nos odiaram na história, mais nos abraçamos e isto nos fortaleceu. As vezes, é em tempos de calmaria que esquecemos quem somos. Isso se encaixa naquele ditado, "É com as pedras que você joga em mim, que eu construo o meu castelo".

Será que é tão difícil nos deixar em Paz? Nosso intuito nunca foi de criar guerras, pelo contrário! Aceitamos os 53% (sendo que 80% desses 53% era área desértica) que a ONU nos deu da terra que POR DIREITO era para ser nossa na integralidade.

Colaboramos com o mundo de diversas maneiras: com ajudas humanitárias, descobertas médicas e com as invenções de grandes gênios JUDEUS.

Alias, talvez podemos destacar entre os maiores homens que existiram na humanidade, cinco judeus: Albert Einstein, Freud, Carl Marx, Moisés e Jesus. Sim, Jesus em nenhum momento renegou as suas origens judaicas, apenas não agiu da forma mais correta de acordo com a religião judaica.

Falando nisso, de onde surgiu essa idéia de que fomos nós que o matamos? Engraçado é que naquela época os romanos acabavam com a vida de todo mundo. Os super tiranos foram bonzinhos com Jesus, né? E a crucificação nem era método romano de assassinato capital? É claro que é! Taí mais uma história que inventaram pra aumentar o ódio pelos Judeus. Já chegaram a dizer que até o Holocausto não existiu (e o que aconteceu com os 6 milhões de mortos, REGISTRADOS?) Israel é o país que abre seus hospitais para cuidar de doentes palestinos, sejam eles feridos de combates, ou doentes normais.

Estamos sozinhos nessa guerra, e só podemos contar conosco mesmo. Os EUA não estão do nosso lado por que "vão com a nossa cara". Por sinal, nem sequer estavam ao nosso lado (embora o mito diga o contrário) até a década de 70. Antes, os maiores apoiadores de Israel foram a França e a Rússia, que logo no começo forneceu armas ao país por achar que Israel se tornaria socialista. Após se sentir traído, Moscou passou a abastecer os países árabes. Se hoje os EUA se alinham conosco, é porque somos um ponto estratégico importante, único aliado confiável na região, única democracia e mais alguns valores em comum. Não dá para negar a influência de uma parcela dos judeus americanos neste apoio, sejam políticos, empresários ou artistas. Mas hoje, de fato, até a direita cristã americana faz mais pressão do que os judeus locais neste sentido.

Churchill não nos ajudou por que estava com pena da gente na Segunda Guerra Mundial e sim por que ele queria uma Alemanha livre da ditadura. Assim como outros que nos "ajudaram" ao longo do tempo em troca de favores. A prova disso é que ao mesmo tempo que lutava contra os alemães, a Inglaterra fechava as porta à imigração judaica para a "Palestina", impedindo que centenas de milhares de judeus se salvassem. É claro que tivemos quem nos desse apoio, principalmente se formos olhar ações individuais e não de governos, e graças a essas pessoas conseguimos salvar muitas vidas. Mas isso lamentavelmente é minoria.

Infelizmente as pessoas não reconhecem o que fazemos de bom ao mundo, "pegam o bonde andando" das notícias que as redes de televisão (parciais e distorcidas) falam e acham que Israel não passa de um estado terrorista fanático com sede de vingança.

Sempre estivemos dispostos a acordos, mas o único resultado que faria a oposição se aquietar seria destruir cada judeu desse mundo junto com a sua nação, Israel. Felizmente hoje em dia temos um dos exércitos mais poderoso do mundo e sabemos bem nos proteger. O judaísmo está vivo e forte. Temos movimentos Juvenis que pregam o Judaísmo no mundo todo. Doações para Judeus de cada canto do mundo irem estudar a Torá em Eretz Israel ( a Terra de Israel). Vale a sábia frase: Se os árabes abaixarem suas armas, teremos paz. Se os Judeus abaixarem suas armas, não teremos mais Israel. D-us nos abençoe!

Thaís Rêgo. 17 anos, estudante do 2° ano do ensino médio. Belém/PA