Inocente Gota

Paulo Berri

Nunca...
Jamais enxugue uma lágrima
Permita que ela cumpra
Seu percurso traçado

Menos de um segundo
Sim...
Ínfimo tempo  -  curta trajetória
E por fim: missão cumprida!

Deixe que essa pequena gota
Deite quieta
Em solo-mãe-gentil
Como um rio
Que desce montanha
E abraça o mar

Essa gotícula, indefesa
Não merece dedos
A ceifar-lhe a vida

Singela e breve existência
Cuja razão de ser
É o simples e mágico fluir

Se me pedirem
Pra explicar as razões
Darei silêncio em respostas...
É apenas algo que sinto
E se não sei explicar o porquê
É justamente porque
A resposta mora
No silêncio...  insondável...  do coração...


Paulo Berri.