Laerte Braga em foco

Laerte Braga Laerte Braga

Luís Nassif adverte para um golpe em curso e chega de uma facada nas costas. O ministro Dias Tófoli, uma excrescência numa corte suprema pelo despreparo e pela leviandade do deslumbramento. Por isso facilmente cooptável por uma raposa como Gilmar Mendes. Há todo um processo e esse é parte dele. Na mídia, nos movimentos golpistas e mesmo dentro de setores das forças armadas. A decisão ilegal de Tófoli distribuindo para Gilmar Mendes, sabidamente o Youssef tucano do STF e também do TSE, a apreciação das contas de campanha de Dilma Roussef pode levar o País a uma crise institucional e é relevante ter consciência que isso, para a direita, não faz a menor diferença, desde que possam mudar a ordem vigente e resultado da vontade popular. Ou se começa a reagir e a mostrar disposição de luta, ou chegam ao impasse que querem provocar.


A despeito da mídia podre que temos, é fácil verificar o fato em jornais estrangeiros e na mídia independente. A Casa Branca está preocupada com o fato de Obama não ser bem recebido onde vai, caso da Austrália e Putin ser aclamado onde chega. Os próprios jornalistas, durante a conferência do G-20 se preocuparam em acompanhar o presidente russo, até porque Obama vivia cercado de super homens de papel e anabolizantes.


Alexandre Garcia deitou falação sobre os eleitores de Dilma e os que não votaram, ou votaram branco e nulo, para chamá-los de cúmplices dos escândalos na PETROBRAS. Alexandre Garcia foi agente do SNI na ditadura militar e demitido no governo Figueiredo por assédio sexual a uma funcionária pública. O jornalista Paulo Francis, independente de sua posição, tinha postura, inteligência extraordinária e era íntegro até em suas mudanças de idéias. Denunciou Joel Renó, presidente da PETROBRAS no governo Itamar Franco e no primeiro mandato de FHC, por corrupção e depósitos em contas bancárias da Suíça. O stress dessa situação, uma briga na justiça americana acabou custando a vida do jornalista (matou Manhatan Connection, um programa de tevê, onde pontificam golpistas e que só ganhou fama pela presença de Francis enquanto esteve vivo, evitava muitas bobagens dos outros participantes). Sônia Nolasco, mulher de Francis, acusou FHC de omisso diante dos fatos, logo, cúmplice com a corrupção de Renó. O Procurador Geral da República Rodrigo Janot acusa o advogado do doleiro Youssef de operar para o PSDB no Paraná e coloca em dúvida as investigações à medida que, segundo disse, houve "intuito eleitoral". É claro que existem irregularidades, mas isso não significa que o governo Dilma seja corrupto, pelo contrário. FHC teria varrido para debaixo do tapete, como fez com toda a corrupção em seu governo. Dilma apura. Há uma clara intenção golpista no que diz a mídia sobre o assunto. A propósito, o papa Francisco fez duras criticas à mídia e deixou claro que as pessoas se deixam levar pelas mentiras e armações dessa mídia, criando um mundo em que os interesses dos grandes se sobrepõem a qualquer processo político de mudanças por mínimas que sejam. Aos poucos, tanto quanto os fatos forem clareando o PSDB e Aécio se verão implicados em toda essa situação, são corruptos na genética, ao contrário de Dilma, íntegra e corajosa. Sem temores. Quanto a Alexandre Garcia e sua cínica isenção, pelo jeito, todos os milhões de eleitores de Dilma serão réus no caso. É preciso encontrar Joaquim Barbosa, um oficial de Justiça está atrás dele para intimá-lo num processo em que é réu. Ou se enfrenta a mídia golpista e se revela toda a podridão dessa gente, sonegadores, mentirosos, ou vamos continuar assistindo falsas indignações das elites e de fantasmas da ditadura.


O primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, ao cumprimentar o presidente russo Vladimir Putin, disse de forma "gélida", para a Rússia abandonar a Ucrânia. Recado de Obama, os EUA consideram o Canadá "um México melhorado". É duplamente colônia. Do Reino Unido e dos EUA. O que espanta é alguém imaginar que Putin vá ouvi-lo, tremer nas bases e temer novas sanções que serão discutidas numa reunião paralela ao G-20. A Ucrânia é como Israel, não existe. Foi inventada. Vej o caso da União Européia, união de países da Europa com fins políticos e econômicos, união de banqueiros principalmente. Vive uma crise sem tamanho, os recursos vão todos para bancos, os índices de desemprego em alguns países batem recordes, há movimentos separatistas na Espanha, enfim, perspectivas sombrias. O que é a União Européia? Uma holding de bancos controlada por Israel e uma grande base militar controlada pela OTAN/EUA. E ponto turístico, nada mais. Como se Putin fosse dizer "sim senhor, senhor primeiro-ministro de lata".


A Operação Lava a Jato prendeu bandidos. Disso ninguém tem dúvidas. Não há empreiteiro, banqueiro, dono ou diretor de grandes corporações e latifundiário inocente. E muito menos grupos inocentes na mídia de mercado. São quadrilhas e ponto. É necessário, no entanto, transparência absoluta nas investigações, inquéritos, processos, pois sabe-se que grama na Polícia Federal um movimento contra o governo e, curiosamente, é mais forte no Paraná, onde vários delegados trabalharam nas redes sociais para Aécio Neves. Das empreiteiras envolvidas, nove, seis delas deram 20 milhões a campanha do tucano. Suas teias se estendem a governos estaduais, municipais, tanto de per si, como de empresas laranjas, caso da Queiroz Galvão, por exemplo, useira e vezeira nisso, principalmente no setor de aterros sanitários. A Fundação do Meio-ambiente de Minas Gerais, nos governos Aécio e Anastasia, foi comprada de cima abaixo, com raríssimas exceções. Os fatos se estendem ao setor de mineração. A Polícia Federal quer que Dilma indique um superintendente a partir de uma lista tríplice votada por delegados. É inaceitável. A Policia Federal é parte do Estado e não um estamento. O ministro da Justiça não foi informado sobre a operação que revistou a aeronave do filho do ex-ministro Edson Lobão, outro bandido, mas que tinha fins eleitorais, fazer mídia, pois nada foi encontrado. Bandido veterano e esperto não dá bobeira, ou se dá é raro. O combate a corrupção nos governos Lula e Dilma é real. Ao contrário do governo FHC, corrupto em gênero, número e grau. É preciso enfrentar esses gigantes, as empreiteiras, mas é preciso saber se a Polícia Federal não está atirando com espingarda de cano curto. Perrela continua solto. Isso com 450 quilos de cocaína. A mídia intocável, a despeito das fraudes, das mentiras de todos os dias. É um trem complicado, é preciso estar atento para saber onde estão indo os tiros. O alvo pode não ser bem o que se imagina. Quanto aos presos? Repito, bandidos sem exceções.


Há uma saraivada de críticas à política externa do Brasil e uma tentativa de jornalistas do PIG de diminuir a importância do País na reunião do G-20. As críticas se dirigem principalmente às questões de mercado, vale dizer a opção por negócios e não por seres humanos, no caso específico, a unidade latino americana. Está longe de ser ideal a política externa do Brasil, mas conferiu ao País condição de protagonista. Outros dos desafios de Dilma no segundo mandato passam por essa área. Rever os acordo militar e comercial com Israel, aprofundar os acordos do MERCOSUL e do BRICS, como alternativas à verdade única do neoliberalismo. As críticas são apenas a viseira do PIG e seus paus mandados na defesa dos interesses dos grupos que buscam dominar o Brasil. A Constituição de 1946 estabelecia, por exemplo, que o subsolo é propriedade do Estado. É necessário retornar com esse princípio e construirmos nossa soberania sem essa visão que devemos ser colônia de um modelo fracassado. Vide União Européia. A propósito, na Austrália, onde passa o presidente Vladimir Putin é aclamado por populares, já atendeu a milhares de pedidos de selfies. Obama? Nem sai do hotel guardado como se fosse um "deus". É uma corruptela do Grande Irmão, terrorista insano mas que não queima e nem rasga nota de dólar.


Dilma Roussef tem desafios pela frente, isso é óbvio. São bem maiores que os do primeiro mandato. Óbvio também. Os avanços obtidos nesses anos Lula e Dilma incomodam as elites, muito mais pelo que podem vir a significar no futuro, que propriamente o que significam hoje. FHC quando eleito presidente declarou que estava "encerrada a era Vargas". É preciso agora encerrar a "era FHC". Se levarmos em conta o perfil do Congresso eleito para a próxima legislatura, esse desafio aumenta mais ainda. É, em sua grande maioria, conservador, oportunista e não tem interesses em coisas outras que não vantagens. Não se reforma o que não pode ser reformado sob pena de criar um monstro. São necessárias mudanças estruturais e a presidente tem que ter coragem para gritar alto e bom som essa realidade e viabilizá-la ao lado do povo, ou seja, com participação popular. O Estado está podre e falido. A Constituição é uma colcha de retalhos e os poderes Judiciário e Legislativo, por maioria, se acham deuses e chafurdam nessa convicção. O Brasil atingiu um estágio que é hora de discutir as privatizações e reestatizar setores estratégicos da economia, voltar com o monopólio estatal do petróleo, avançar na reforma agrária, na regularização e proteção das terras indígenas e quilombolas, a lei de meio, nada disso pode ficar fora e tudo isso só se resolver com participação popular, logo, uma constituinte e referendos e plebiscitos. Do contrário tudo será perdido, pois a direita é como a medusa, corta-se uma cabeça, nasce outra..